segunda-feira, 19 de maio de 2008

particular ou publica?

Qual das duas é melhor? Isso varia de faculdade pra faculdade.
A que estudo é melhor que a federal e a estadual em dois cursos/áreas: direito e algumas engenharias.

O fato de a faculdade ser privada ou pública apenas indica, até certo ponto, o grau de dificuldade de ser aprovado no vestibular.
Existe uma particular de medicina que tem o curso melhor que o da federal e concorrência no mesmo nível. A única desvantagem é que na federal o custo é zero e na privada R$1200 ou alguma coisa a mais.

Esse pessoal das públicas, não todos, mas a maioria, pensa que é superior por ter conseguido entrar numa faculdade onde a concorrência é mais pesada. Mas nem sempre seus cursos são melhores. Você entrou no ITA? Caralho, eu tiro o chapéu. Aí eu nem discuto. Deve existir mais meia dúzia de universidades assim, que eu nem pararia pra discutir, mas o resto...

Vale lembrar que as universidades federais tem nome, já são 'famosas'. Então muitas vezes elas descuidam de seus cursos, justamente por já serem considerados bons e é aí que as privadas crescem, pois, por não terem um nome tão forte, investem em melhores laboratórios e pesquisa (isso também se deve ao dinheiro, que entra mais fácil).
A universidade onde estudo acabou de construir um laboratório para os alunos desenvolverem projetos interdisciplinares, com um custo de cerca de 300 mil reais. Qual universidade federal/estadual vai construir uma oficina assim? Se existir, são poucas. Vão dizer que as públicas não tem dinheiro para fazer um investimento desses, mas tenha certeza que muitas delas tem e, as vezes, muito mais que isso. Apenas decidem investir muito em alguns cursos e nada em outros.


Outra coisa a ser levada em consideração é o aluno. A universidade não se constrói sozinha, o aluno é que a faz crescer.
Como exemplo temos um caso recente e que apareceu na mídia nacional: medicina na federal da Bahia. Os alunos, segundo dizem, boicotaram o ENADE, o que classificou de maneira negativa a universidade. Se os alunos de uma privada não boicotarem podem ter nota melhor e classificar melhor a sua faculdade. E vice-versa.

Se eu me formo na privada e me esforço, faço um curso de especialização e sei lá mais o que e meus colegas também, vão nos contratar e nos ter como referência. "Os melhores profissionais da minha empresa se formaram na faculdade X, logo os estudantes da faculdade X são os melhores do mercado". Isso não é verdade.

Cansei de escrever.

[]'s

P.S. Se quiser escrever um post respondendo, mande para o e-mail eng.engenheiro@gmail.com

16 comentários:

Arroto na Web disse...

em engenharia a coisa é crítica. 99% das faculdades particulares de engenharia são uma piada, justamente porque os alunos imbecis (que são maioria) que nelas estudam são porcos demais, não sabem matemática ultrabásica, os professores pegam leve demais, etc. os caras vivem dizendo que o aluno é quem faz a faculdade, e é justamente isso que faz a "boa fama" das particulares. apesar de não ser muito justo, o vestibular das públicas já seleciona negos cem vezes melhores do que a maioria dos alunos de particular, verdade seja dita.

Feds disse...

concordo com o arroto, infelizmente devivo ao nivel dos alunos nunca nesse brasil que uma particular de engenharia estará no mesmo nivel que uma federal, não importa o nivel dos professores e dos equipamentos....

Feds disse...

e alem do mais em 90% dos casos as os cursos de engenharia das federais acabam tendo mais recursos (laboratorios, equipamentos e desevolvimento de projetos de alto nível) do que uma facul particular devido aos convenios com as grandes empresas... eu faço engenharia de redes e telecomunicações na UnB só ano passado a dell investiu 2 milhões de reais no labredes pra pesquisa e etc...

Pré-Engenheiro disse...

Das particulares, aqui em sampa, se salvam:

- Máua
- FEI
- USJT

Anônimo disse...

Eu discordo dessa afirmação. Devo dizer, que em algumas industrias brasileira como o caso a MWM 80% dos funcionários (engenheiros (a)) são da FEI, na Vw,gm,toyota,alcoa, abb,valeo,grob,ford e etc... a grane maioria dos engenheiros são da FEI e da Mauá. Eu nunca trabalhei, na industria com um chefe da poli ou qualquer univesidade pública. Concordo, que a grande maioria dos poli tecnicos que conheço estão trabalhando na aréa financeira.
Tenho certeza, absoluta que a FEI está no mesmo nível de varias faculdades públicas de engenharia.

Anônimo disse...

Eu faço FEI e o que acontece é que o cara que faz POLI sai de lá tão fudido, tão "espertão" que vai dar aula, os que saem da FEI saem direto pro mercado de trabalho. Por isso é facil ver engenheiros da FEI na industria e os da POLI dando aula em universidades, tenho professores, varios por sinal, que sairam da USP. E sem duvida nenhuma, FEI e MAUA tem nivel pra competir com as publicas, da de dez a zero em varias, uma prova são os carros do SAE Brasil, BAJA E FORMULA, campeoes mundiais!

Anônimo disse...

Eu trabalho na General Motors e posso dizer que mais de 80% dos engenheiros de lá são da FEI, um pouco da Mauá e um ou outro q veio de pública. Eles confiam tanto na FEI e Mauá que financiam até 100% das mensalidades pra quem trabalha lá (desde a área de produção até estagiários em engenharia). Eles têm preferência nessas duas faculdades.
E tenho dois amigos que trabalham na Volkswagen e lá é mesma coisa.

Anônimo disse...

não será que a GM e a volks fazem isso pq é muito mais fácil ter estagiários de faculdade que são perto? ou esquece que a concentração de públicas é maior pro interior?

Anônimo disse...

Para estágio pode ser que sim, mas o que me diz dos formados?
Não se vê muito engenheiro de facul pública trabalhando lá..

Guilherme C disse...

Das particulares, três se salvam:
IMT - Mauá;
FEI;
PUC-Rio.
Todos os indicadores apontam para isso:
- Avaliação Guia do Estudante, Ed. Abril;
- Resultados nas competições de Engenharia;
- Presença "forte" no mercado de trabalho, em posições de destaque;
A FEI tem uma tradição absurda na industria. Pode-se dizer que são os maiores responsáveis pela Eng automobilística e afins no estado de SP.
A Mauá costumava fornecer um número tão grande quanto a FEI pra industria, mas nos últimos anos a gente vem notando uma "debandada" de alunos para as áreas financeira e comercial das empresas e bancos.
Não conheço muito da PUC-Rio, mas tive a oportunidade de competir contra eles na SAE-AeroDesign e nota-se a capacidade da instituição. É a única particular do Rio.
A Poli é notavelmente reconhecida pelo número de excelentes alunos, graças à FUVEST. Durante anos a Escola forneceu alunos para o mercado financeiro, por conta da pouca atividade da construção civil e industria "engessada" dos anos 80 e 90. Era uma época em que ser Engenheiro era furada...diferentemente de hoje em dia.
Um fator que deve ser levado em consideração é o perfil dos alunos que ingressam na POLI. Grande maioria proveniente de Cursinhos. Não que isso a desmereça.
Eu, assim como a maioria dos meu colegas, optamos por não fazer cursinho.

Anônimo disse...

Eu fiz engenharia agricola numa pública depois fiz engenharia civil numa particular.

Há prós e contras nos dois casos. Discordo quando dizem que nas públicas os alunos são mais selecionados, que só entram os bons. Todos devem saber que o índice de reprovação dos cursos de exatas é altissimo. Pois quando eu estava fazendo engenharia agricola na pública, bem mais da métade da turma desistiu, e estou falando de gente que estudou no marista a vida toda. Da minha turma só 7 se formaram, o resto desistiu pelo caminho.
O curso de matemática, ciencia da computação e eng. agricola eram os recordistas de desistencia, nem tinha festa de formatura de tão poucos alunos que se formavam.
Depois fui fazer civil na particular. Bem ao contrário do que eu pensava, os ensino não era feito de qualquer jeito. Tive excelentes professores na particular. Fui encaminhada para bons estágios e hoje trabalho na area. Nunca tive nenhum problema nos meus projetos, nunca houve uma situação em que eu pegava um trabalho e pensava "isto não me foi ensinado".

Monaliza disse...

Galera eu ganhei bolsa 100% numa facul particular (UNIPÊ) passar no meu estado que é a PB pro curso de engenharia Civil ta cada vez mais difícil, muita gente boa,venho de um curso técnico na área, edificações,que por sinal foi cursado no IFPB, to por dentro dos assuntos, dependendo das aulas ficarei nessa universidade que é uma das melhores da minha cidade..
Se eu não gostar vou me esforçar pra federal e quem sabe fazer outra opção de engenharia :)

Anônimo disse...

Na minha opinião as públicas estão afundando e o que salva mesmo é o nome delas.

Anônimo disse...

Um dado importante que precisa ser levado em consideracao, qual a porcentagem total de alunos formados nas publicas e os formados em univ particular?
No ultimo levantamento que tomei conhecimento, somando todas as universidades publicas do pais, nao formavam nem 13% do total de formandos, e isso incluindo TODOS os cursos, imagina so engenharia entao, quanto representa???

Unknown disse...

Sinceramente, ñ entendo pq está briga "Particular X Federal", tanto entre questionamentos de alunos ou professores, ridículo isso, não vejo isso em outros cursos como Medicina, Odontologia, Arquitetura, Psicologia, Administração, Ciências Contábeis ou Direito, só vejo essa palhaçada e infantilidade na Engenharia mesmo. Na minha opinião sincera e lógica, são pessoas de Federal c/medo de perder espaço pra pessoas de Particular e vice-versa, ao invés de serem maduras, usarem o bom senso e se unirem como os profissionais e alunos das outras profissões fazem. Óbvio, que SÓ UM PERFEITO IDIOTA E IMBECIL não percebe que a grande maioria dos que formam, especificamente em Engenharias, nas Federais partem pra Área Acadêmica (dar aulas), pra Área de Pesquisas e Pra outras áreas afins. Pro outro lado, a grande maioria dos que formam nas Particulares são os que realmente seguem carreiras profissionais nas Empresas e atuam na área. Então, acho que cada um tem seu papel no mercado, na economia e no crescimento do país. A categoria num todo tem que unir energia e força, pra brigar no Senado Federal, na Câmera Federal e outros órgãos públicos Estaduais e Municipais, pra pedir investimento e valorização à classe mudando as Leis principalmente. Estou formando em Eng. Civil, e acho que deve-se ser obrigatório qualquer projeto ou acompanhamento Técnico, em qualquer obra ou reforma, seja ela até mesmo de pequeno porte, não só para criar mais mercado para os Engenheiros Civis, mais principalmente para uma maior segurança da População. Visto que nestes últimos anos várias obras e marquises vieram à ruína! No Brasil, construir é igual ir na esquina e comprar um Remédio na Farmácia sem Receita Médica.. o Cara resolve q tá c/dor, vai lá e compra um Dorflex.. comparando de forma analógica, o cara quer construir, vai lá no Material de Construção e compra o que quer e faz como quer!!!! Parece piada!!!

Rafael Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.