segunda-feira, 1 de setembro de 2008

engenharia ou letras?

Eu já escrevi sobre isso aqui?
Se não, leiam. Se sim, leiam do mesmo jeito (espero que este post complemente alguma coisa).

Acontece que eu faço exatas. Mas acho que nunca na minha vida vi um quadro com tantas letras. Acredito que nem nas aulas de português eu via tantas letras escritas num quadro só.
Na aula de quinta (ou sexta, sei lá) eu parei, olhei pro quadro e, além das letras, eu só via dois números: 4 e π. (se é que pi pode ser considerado um número)
Nessas horas eu fico nervoso. O professor escreve, escreve, escreve, escreve e demonstra sei lá o quê pra no final botar uma fórmula. A aula é mais de demonstração de como se chegar à formula do que outra coisa.
Entendo que é importante sabermos de onde vem a fórmula, mas, pra ser sincero, eu num tô nem aí pra origem dela. Tô cagando se foi Newton, Arquimedes, Tesla ou a Xuxa quem inventou a formula e como chegou lá, desde que aquilo sirva pra alguma coisa (útil!).
Outra coisa que eu não gosto é quando os professores se recusam a, na hora da prova, dizer qual é a formula. Pô, quando eu me formar e estiver projetando alguma coisa eu vou pegar um livro e ver a fórmula (ou procurar no google, sei lá). Não vou parar, deixar um projeto de lado e dizer "pqp, não posso concluir o projeto porque esqueci a fórmula de Bhaskara". Foda-se. Isso só estimula os alunos a colar. Eu quero saber quem é o cara que conclui engenharia sem fazer sequer uma cola com aquela fórmula que, mesmo respondendo trilhões de exercícios, não conseguiu decorar e o professor não libera as fórmulas.

No semestre passado eu tive um professor que deixava fazer a prova com consulta. Porra, ótimo. Para a questão ser considerada certa eu deveria apresentar os cálculos, logo, o livro não altera em nada a minha nota (a não ser que ele pegue uma questão resolvida do livro). E ele dizia isso mesmo que eu já falei aqui, que quando a gente se formar num vai projetar alguma coisa com as fórmulas que lembrar, vamos consultar livros.

Algumas pessoas dizem que "engenheiro que só dá aula é engenheiro frustrado". Não devemos generalizar, mas uma boa parte é. Esses caras que fizeram engenharia sem saber o que realmente queriam da vida e perceberam que engenharia não é pra qualquer um e, decepecionados, decidiram fuder a vida da galera. Ae, não liberam fórmula, inventam questões muito insanas, sei lá. Não fazem uma prova para testar a capacidade do aluno, mas sim pra fazer o aluno tirar uma nota baixa. No geral é esse tipo de gente que enche o quado de fórmulas, faz (quando faz) poucos exercícios e não libera fórmulas, o que ajuda a aumentar ainda mais o índice de reprovação nas engenharias.
Agora aqueles engenheiros que, além de atuar como engenheiros, dão aula só tem a acrescentar ao curso (também sem generalizar, uma boa parte é). Porque eles podem dizer aos alunos o que é importante ou não na prática, dizer ao aluno o que uma determinada área faz, indicar e opinar sobre determinada especialização... é bom isso.

Comecei falando de uma coisa e terminei em outra... tô lesado.


Abraços



"A engenharia não é apenas uma profissão aprendida, ela também é uma profissão de aprendizagem, na qual os praticantes iniciam-se estudantes e nessa condição premanecem ao longo de suas carreiras" - William L. Everitt

7 comentários:

Dalvania disse...

Pior q é verdade...
No tecnico eu ja nao entendia pq a gente tinha que decorar akelas formulas malditas...
Tipo, ainda nao cheguei nessa parte da engenharia, to no 2º periodo, a parte chata, mas ja tenho uma nocao dessas coisas insanas que mandam a gente decorar...

Eduardo disse...

Não sei que Eng. tu faz, mas onde eu estudo, nós temo é que deduzir muitas formulas, pois elas não vem sempre prontinhas, e basicamente esse é um dos papeis do engenheiro, adequar uma solução pra qualquer condição (ou quase) e nesse momento é você e as letras...
heheh

Eduardo disse...

mais uma coisa..
Eu particularmente admiro muito mais os Eng que lecionam doque os que atuam em empresas e muitas vezes fazem trabalho de tecnicos.. e sabe por que?
São esses "Professores" que estão diretamente ligados a pesquisa, e é daí que vem todas as inovações tecnologicas, é aí que um engenheiro mostra seus conhecimentos e faz valer o titulo de ENG. (latim ingeniu = "faculdade inventiva, talento")

Anônimo disse...

Achei bem infantil seu comentário:
"Tô cagando se foi Newton, Arquimedes, Tesla ou a Xuxa quem inventou a formula e como chegou lá, desde que aquilo sirva pra alguma coisa (útil!)."

Vc deveria se envergonhar de falar uma coisa dessa de pessoas que contribuiram para a sociedade tanto qto eles fizeram. Já pensou se Newton só quisesse aplicar fórmula? Abra um livro de engenharia ou matemática e veja se vc não encontra o nome de Newton pelo menos uma vez, comparar o que ele fez com a Xuxa... pelo amor de deus, que comentário mais infeliz.


E toda essa carga matemática que nós temos não é a toa, o engenheiro precisa saber todas as ferramentas para solucionar um problema, qdo vc deduz algo vc está praticando para no futuro vc poder contribuir como esses homens fizeram, ou apenas ficar aplicando fórmula e ser mais um engenheiro mão-de-obra barata trabalhando pra alguma multinacional enriquecendo outros países.

Rodrigo disse...

sobre o comentario acima "Achei bem infantil seu comentário"... porra vc ta certo.. pra que saber quem fez ou oque fez ? serve pra alguma coisa ? então eu quero aprender huahuahua.. se não.. NÂo to nem ai!!!
sobre o topico.. muito foda msm.. eu fico zuando, que exercicio bom é quando tem muita letra se não não tem graça rs...
sobre os professores, os meus que tentaram [e alguns fizeram] fazer cursos [de pos e etc] na UFRJ odiaram algumas aulas pq eles dam aulas horriveis... mas fazer oque né, tenho que passar assim msm rs... abraço

Anônimo disse...

Só uma obs: A fórmula de Baskara nao eh do Bhaskara. O nome dela é fórmula resolutiva do segundo grau.
Os estudiosos atribuiram esse nome em homenagem a ele.
Por favor, nao entenda isso como um corretivo no teu texto e sim um complemento.

Lenon Mendes disse...

seu blog tá pegando fogo
loucura loucura